BUSCA PELA CATEGORIA "Eleições 2020"

03 Fevereiro 2020 - 18:38

Eleições 2020: Sucessão começa a esquentar em Rio de Contas

Foto: Patrick Cassiano | Blog Regional

O “tabuleiro político” para as eleições deste ano no Município de Rio de Contas começa a tomar contornos nos grupos da situação e da oposição. Ainda que, faltando nove meses para as eleições, o pleito eleitoral pode sacudir a pacata e hospitaleira cidade. Nas próximas eleições, quando serão definidos os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereadores, o candidato natural pelo grupo situacionista é o atual prefeito, Cristiano Azevedo (DEM), que deverá disputar o pleito pelo PL – Partido Liberal, sob “as bênçãos” do seu deputado federal, José Rocha. O médico Cristiano Azevedo, irmão do ex-prefeito de Livramento, Paulo Azevedo e do atual prefeito do município de Érico Cardoso, ambos também médicos, desponta como favorito nas eleições, muito embora tenha um desgaste dentro do seu próprio eleitorado. Compondo a chapa do atual prefeito, deverá figurar como candidata ao cargo de vice-prefeita, a empresária do distrito de Marcolino Moura, Ilzinete, conhecida por “Dona Iu”, já tendo sido, inclusive, publicado um vídeo nas redes sociais, onde o prefeito, ao lado dela, declarou a escolha. Entretanto, por fora, corre o nome da Vereadora Madalena Mafra (DEM) que conta a seu favor o fato de ter caminhado junto com o prefeito desde a derrota dele no ano de 2012, além de ter sido a campeã de votos nas últimas eleições de 2016. Pelas hostes oposicionistas tudo parece crer que o candidato ao cargo de prefeito será o ex-gestor por dois mandatos, Marcio Farias (PSD), que conta com o apoio declarado do Senador Otto Alencar (PSD). As indefinições pelo lado do grupo da oposição estão no preenchimento da vaga para disputa ao cargo de vice-prefeito. Como favorito desponta o atual vice-prefeito, o médico Tiago Reis (PDT), filho do ex-prefeito Dr. Pedro. Além de ter o DNA na política riocontense, o médico Tiago Reis conta a seu favor com o fato de ter livre trânsito junto ao eleitor de Cristiano Azevedo, visto ter caminhado junto nas últimas eleições de 2016. Tem chances ainda de compor a chapa de Marcio Farias o vereador por vários mandatos, Valgléber Mafra (PL), filho do falecido Jonas Mafra, ex-prefeito por quatro vezes. Por último, menos cotado, mas com opção viável, vem o vereador e advogado Vinicius Costa (PSDB) que, juntamente com o vice-prefeito, foi eleito pela situação e rompeu com Cristiano logo ao final do primeiro ano de mandato. A favor de Vinicius Costa existe o fato de também ter acesso a uma parte do eleitorado do grupo do prefeito e de fazer um mandato crítico e combativo. Contudo, notícias dão como a transferência do domicílio eleitoral, por parte do advogado Vinicius Costa, que espera apenas o prazo legal, para a vizinha cidade de Livramento, onde tem seu escritório de advocacia, com o fim de disputar uma vaga na Câmara de Vereadores daquele município. O certo é que na belíssima Rio de Contas a disputa eleitoral deverá ser disputada, tal qual nos anos dve 2012 (312 votos e 2016 (335), mas que todas as definições somente começaram a desabrochar após o período carnavalesco. Com Informações do site Sudoeste Bahia.

12 Novembro 2019 - 09:08

Às vésperas de 2020, Éder se mantém forte no cenário político

Foto: Blog Regional

Por: Will Assunção | Jussiup Press

Mesmo às vésperas de 2020, nenhum nome originário da oposição foi apresentado, ainda como possível pré-candidato, pelas principais lideranças políticas municipais para o embate político do próximo ano pelo pleito à Prefeitura de Jussiape. O atual prefeito de Jussiape Éder Jakes (PP), candidato à reeleição, goza do fato de até o momento a oposição estar desarticulada e sem nomes de peso para 2020. Ainda que o resultado de eleições para deputado não seja um parâmetro preciso para futuras candidaturas ao Executivo municipal, os números tendem a ser um indicador um tanto considerável de popularidade, pois reflete o voto de todos os eleitores. E, neste quesito, pelo menos, o prefeito sai na frente da oposição. Éder conta com novos aliados, que podem vir a se tornar candidatos a um cargo no Legislativo e, caso vença, garantiria um futuro governo mais sólido, já que desfrutaria de uma base consolidada na Câmara. O que articulistas políticos tem chamado de “dança das cadeiras”, ao se referirem à mudança no Legislativo, se apresenta como uma possibilidade de se concretizar. É sabido que a cúpula do governo Éder pretende lançar seus próprios candidatos a vereador. A campanha, principal terreno para conquistas de votos, é também o momento decisivo na disputa, que envolverá diversos fatores, incluindo, é claro, o apoio popular.