Geral

Intervenção no Rio é ‘gesto populista’, critica Lídice

20 Fevereiro 2018 - 08:31

Intervenção no Rio é ‘gesto populista’, critica Lídice

Foto: Patrick Cassiano | Bahia Verdade

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) se mostrou contrária à intervenção do governo federal no estado do Rio de Janeiro. Segundo a socialista, a medida é um “gesto populista” do governo Michel Temer (MDB). “Essa intervenção tem intenções política, como tirar da pauta a votação da reforma da Previdência, porque eles não tinham votos. Outra coisa que eles quiseram mostrar foi um gesto populista, outra é tentar salvar o desastroso governo de Pezão”, opinou, em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole. A congressista baiana afirmou ainda que um dos objetivos da ação é alavancar o nome de Rodrigo Maia (DEM) para o governo do Rio de Janeiro. “Junto disso tem uma certa articulação para fortalecer o nome do presidente da Câmara como possível substituto de Pezão, depois de ter seu nome ventilado para presidente da República, o Maia agora vai para essa empreitada”. Para Lídice, o uso do Exército para ações no Rio “coloca em risco até mesmo a segurança do próprio Exército”. “O comandante Villas Boas demonstra sua preocupação. A fala das pessoas é quase unânime, dizendo que tecem para dar certo, mas dizem que isso também não é a solução. Não é que a população não creia no Exército, mas a população sabe que essa não é a solução”, defendeu.

 

Comentários

  • Cícero Costa

    20 Fevereiro 2018

    Fuzis nas ruas do Rio de Janeiro ou seja lá onde for não vão resolver o problema, mas agravá-lo. As FFAA já participaram de operações no combate ao crime organizado no Rio de Janeiro, e de nada adiantou, foi inútil. A solução para os problemas de violência no país passa pela implementação de políticas sociais mais arrojadas que atendam ao menos às necessidades básicas das populações em situação de pobreza extrema, amenizando-lhes, de forma efetiva e duradoura, a dor da fome, da miséria e da exclusão social. O fato é que esta não é meramente uma intervenção federal decretada para combater o crime no RJ, mas um primeiro passo para uma intervenção federal em todo o país, o que suprimiria as eleições presidenciais deste ano e manteria no Poder os usurpadores - Temer e seu bando !! Parece ser este o plano do grupo político que assaltou o Poder: criar um clima de pânico e instabilidade crítica a fim de legitimar uma intervenção militar mais abrangente, que inclua todas as capitais, para assim permanecer no Poder sem o voto popular, suspendendo-se as eleições populares. É como se estivessem voltando a nós os fantasmas de um passado recente, protagonistas de um regime totalitário e sanguinário que durou 21 anos e que resultou na morte, tortura e desaparecimento de milhares de brasileiros que bravamente lutaram contra a tirania nefasta dos generais nos “anos de chumbo”. Um período de trevas e dor para o país, que começa a se desenhar outra vez no Brasil. "A história se repete como farsa", e cá estamos nós mais uma vez prestes a ingressar em um novo período de tormento, retrocesso e incertezas, marcado que poderá ser por dias ainda mais difíceis e sombrios para o povo brasileiro, com graves restrições de direitos civis, políticos e sociais à população. A democracia só se realiza de forma plena quando o povo está no comando. Mas pelo visto – Temer e seu bando – pretendem suspender as eleições presidenciais que se avizinham para se perpetuarem no poder sem o voto do povo nas urnas, o que seria, como de fato está sendo, um verdadeiro desastre para o país.

Deixe seu comentário

Mais notícias