Polícia

Acusado de matar esposa a socos e pontapés em Simões Filho se entrega à polícia

04 Junho 2018 - 20:33

Acusado de matar esposa a socos e pontapés em Simões Filho se entrega à polícia

Foto: Reprodução

O encanador Ivan Santos de Jesus, de 32 anos, acusado de linchar a esposa em Simões Filho, se apresentou à polícia e foi preso neste final de semana. Ele estava foragido desde o dia das agressões, que levou a mulher à morte no dia 26. No inicio da tarde desta segunda-feira (04/5), familiares de Ana Melia Bispo dos Santos, conhecida como “mel”, de 36 anos, se reuniram em frente à delegacia em protesto contra o assassino, que está preso no local. Ele deve responder por feminicídio, que é o assassinato contra a mulher motivado por menosprezo, discriminação ligada ao gênero ou por razões de violência doméstica. Segundo a polícia, Ivan matou a manicure Ana Melia a golpes de socos e pontapés. A agressão que resultou na morte da vítima ocorreu no dia 20 de maio. A mulher chegou a ser socorrida e ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Subúrbio, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no último sábado (26/5), seis dias depois do crime. Ela teve traumatismo craniano, coágulos no cérebro e estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). De acordo com a mãe da vítima, a aposentada Maria Conceição Dias, 60 anos, o crime aconteceu na madrugada do dia 20 de maio, um domingo. “Ela e ele foram para um aniversário com um colega que ele colocou dentro de casa para dormir – acho que é um primo dele, depois passaram em um bar e chegaram em casa as cinco horas da manhã – os três bebendo – isso é o que me contaram”, relatou. Tudo aconteceu quando ela levantou para ir ao banheiro. No que ela levantou para ir ao banheiro, bebendo, não sabia o que estava fazendo, e acabou caindo na cama do primo dele que estava deitado. Ai ele (marido) disse que pegou ela com outro, essa é a desculpa dele”, explicou a mãe da vítima. Durante a briga, Ana acabou sendo agredida com vários socos e pontapés pelo companheiro. “Ele espancou minha filha dentro de casa, depois ele saiu e ela foi atrás dele. Ele a agrediu em um beco e cinco homens não conseguiram segura-lo, ele pisou na cabeça de minha filha”, conta dona Maria.

Comentários

Deixe seu comentário

Mais notícias