Livramento

Livramento: Nuances da corrida eleitoral 2020

15 Maio 2020 - 10:02

Livramento: Nuances da corrida eleitoral 2020

Foto: Patrick Cassiano | Blog Regional

Após a divulgação das listas atualizadas das filiações partidárias, o cenário político eleitoral começa a se desenhar e algumas projeções começam a se confirmar. Pelo lado situacionista, grupo liderado pelo prefeito Ricardinho Ribeiro, o ex-prefeito Paulo Azevedo, a vice-prefeita Joanina Sampaio, os 10 vereadores que compõem a base de apoio ao governo municipal, ex-vereadores e outras lideranças com densidade eleitoral dividiram as filiações entre os partidos REDE e PL. O cenário aponta para a manutenção da união e a formação da mesma chapa do pleito eleitoral de 2016, com Ricardinho e Joanina formando a dobradinha que se sagrou vitoriosa. Ricardinho conta com a pujança da sua administração, marcada pela realização de grandes obras de forma simultânea e por honrar os compromissos financeiros da gestão municipal com pontualidade. Pelo lado oposicionista, conforme noticiado aqui, uma fonte do grupo relatou ao Blog Regional um possível estremecimento da união entre os ex-prefeitos Emerson Leal e Carlão, ante a sapiência deste último em promover as filiações dos potenciais candidatos no seu partido, PSD. De fato, consulta feita no “filia”, sistema de filiações do TSE, confirma que Carlão acomodou os três vereadores e mais alguns pré-candidatos competitivos no PSD. A expectativa é de como será realmente a reação de Emerson Leal e do deputado Nelson Leal, depois dessa artimanha do aliado, pois, como é sabido, o tema envolve divergências entre PP e PSD no plano estadual e não será visto com bons olhos. Para além disso, o grupo de oposição enfrentará dificuldades para lançar o seu candidato a prefeito em razão da sanção de inelegibilidade lançada pela famigerada Lei da Ficha Limpa sobre seus dois principais líderes. Em acórdão datado de 19 de março de 2019, nos autos da Apelação Cível nº 0000816-03.2008.4.01.3309, Emerson Leal foi condenado pela Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da Primeira Região por ato de improbidade administrativa. Pesa também contra Carlão a rejeição das contas de sua gestão referente ao ano de 2011 pela câmara de vereadores. O Decreto Legislativo que aprovou o parecer prévio do TCM/BA pela rejeição das contas é de outubro de 2013, com isso o ex-prefeito está inelegível até outubro de 2021. Carlão tenta anular o referido Decreto Legislativo nos autos da ação judicial 8000476-88.2015.8.05.0153, entretanto até o presente momento não tem nenhuma decisão favorável para desconstituir sua inelegibilidade.

Comentários

Deixe seu comentário

Mais notícias