Cultura

Documentos da CIA revelam investigações sobre Jorge Amado

11 Fevereiro 2017 - 21:28

Documentos da CIA revelam investigações sobre Jorge Amado

Foto: Reprodução

"Garoto de recados dos comunistas." Assim o escritor Jorge Amado é classificado em um documento confidencial da CIA, a agência de inteligência dos Estados Unidos, no início dos anos 1950. O escritor brasileiro era um dos intelectuais monitorados pelo espiões norte-americanos por causa da ligação com o comunismo. São ao menos 27 os relatórios que mencionam o romancista brasileiro. Qualquer indício de simpatia aos comunistas importava aos EUA durante a Guerra Fria (1945-1981). No clima de arapongagem, os passos do baiano passaram a ser seguidos. Jorge Amado não podia nem mesmo entrar em território norte-americano. A lei de imigração passou a barrar os vistos de intelectuais "suspeitos" a partir de 1952. O autor de "Seara Vermelha" (1946) não estava só. O escritor colombiano Gabriel García Márquez, o mexicano Carlos Fuentes, o argentino Julio Cortázar e o poeta chileno Pablo Neruda também tiveram o ingresso impedido. Antes secretos, os documentos que mostram o interesse dos americanos pelo baiano foram liberados ao público pela CIA no final de 2016. Cerca de 11,1 mil papéis falam sobre o Brasil.