Busca pela categoria "Covid-19"
Brasil chega a 682 mil mortes por Covid
Foto: Patrick Cassiano - Blog Regional
Covid-19 18 Ago 2022 - 12:00
Brasil chega a 682 mil mortes por Covid

O Brasil registrou 246 mortes por Covid e 22.046 casos da doença na quarta-feira (17). Com isso, o país chega a 682.074 vidas perdidas e a 34.221.103 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia. As médias móveis de casos e mortes permanecem em queda, em relação aos dados de duas semanas atrás. A média de infecções agora é de 17.930, redução de 40%, enquanto a de óbitos é de 175, cerca de 16% inferior ao dado de duas semanas antes. Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais. Ao todo, 180.427.570 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil. Somadas as doses únicas da vacina da Janssen contra a Covid, já são 169.713.380 pessoas com as duas doses ou com uma dose da vacina da Janssen. Assim, o país já tem 83,99% da população com a 1ª dose e 79% dos brasileiros com as duas doses ou uma dose da vacina da Janssen. Até o momento, 101.390.639 pessoas já tomaram a terceira dose e 26.623.869 a quarta. O consórcio reúne também o registro das doses de vacinas aplicadas em crianças. Com a ampliação da faixa etária que pode receber a vacina contra a Covid, o consórcio agora apresenta a população de 3 a 11 anos imunizada. Nessa faixa, a fatia parcialmente imunizada (com somente a primeira dose de vacina recebida) é de 51,95% e a que recebeu a segunda dose é de 34,53%. Mesmo quem recebeu as duas doses ou uma dose da vacina da Janssen deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas. A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (PL), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Brasil registra 5.493 casos de covid em 24h; média móvel é de 20.354
Foto: Reprodução
Covid-19 16 Ago 2022 - 12:00
Brasil registra 5.493 casos de covid em 24h; média móvel é de 20.354

A media móvel de casos de covid-19 foi nesta segunda-feira, 15, a 20.354, queda de 38% ante o índice de duas semanas atrás. Em 24 horas, foram registradas 5.493 contaminações, elevando o total a 34.177.137. Os dados diários são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h. O Brasil registrou 155 mortes por covid-19 de ontem para hoje, elevando o total de óbitos a 681.705. A média móvel semanal de vidas perdidas foi de 209, baixa de 2% em relação à de duas semanas. Das 27 unidades da Federação, 23 reportaram números hoje. Dessas, 7 não computaram óbitos. O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados. 

Bahia registra 1.512 casos de Covid-19 e mais 22 óbitos
Foto: Reprodução
Covid-19 05 Ago 2022 - 14:00
Bahia registra 1.512 casos de Covid-19 e mais 22 óbitos

De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), nas últimas 24 horas, foram registrados no estado 1.512 casos de Covid-19, 1.704 recuperados e 22 óbitos. Dos 1.665.393 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.631.292 já são considerados recuperados, 3.680 encontram-se ativos e 30.421 tiveram óbito confirmado. Os dados ainda podem sofrer alterações. O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.963.476 casos descartados e 358.631 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (4).

Leitos

A Bahia apresenta 38% de ocupação dos leitos de UTI adulta, com 94 sendo utilizados, de Covid-19 e 10% de UTI Pediátrica, com 2 em uso, nesta quinta-feira (4). Os leitos de enfermaria adulto apresentam 88 ocupados, representando 29%, e os de enfermaria pediátrica estão sendo utilizados com 10% da capacidade ocupados, representando 2 leitos.

Vacinação

Até o momento a Bahia contabiliza 11.644.520 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.807.737 com a segunda dose ou dose única, 6.825.614 com a dose de reforço e 1.491.957 com o segundo reforço. Do público de 5 a 11 anos, 1.009.566 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 618.922 já tomaram também a segunda dose. Do grupo de 3 e 4 anos, 11.959 tomaram a primeira dose.

  Bahia registra 2.155 casos de Covid-19 e mais 13 óbitos
Foto: Reprodução
Covid-19 30 Jul 2022 - 16:00
Bahia registra 2.155 casos de Covid-19 e mais 13 óbitos

De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), nas últimas 24 horas, foram registrados no estado 2.155 casos de Covid-19, 2.458 recuperados e 13 óbitos. Dos 1.658.889 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.621.779 já são considerados recuperados, 6.716 encontram-se ativos e 30.349 tiveram óbito confirmado. Os dados ainda podem sofrer alterações. O boletim epidemiológico contabiliza ainda 1.953.896 casos descartados e 357.706 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta sexta-feira (29).

Leitos

A Bahia apresenta 44% de ocupação dos leitos de UTI adulta, com 108 sendo utilizados, de Covid-19 e 45% de UTI Pediátrica, com 9 em uso, nesta sexta-feira (29). Os leitos de enfermaria adulto apresentam 119 ocupados, representando 40%, e os de enfermaria pediátrica estão sendo utilizados com 60% da capacidade ocupados, representando 12 leitos.

Vacinação

Até o momento a Bahia contabiliza 11.641.463 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.753.859 com a segunda dose ou dose única, 6.748.850 com a dose de reforço e 1.398.684 com o segundo reforço. Do público de 5 a 11 anos, 1.003.579 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 610.687 já tomaram também a segunda dose. Do grupo de 3 e 4 anos, 6.937 tomaram a primeira dose.

Covid pode apresentar dificuldade de ejaculação e baixa libido como sintomas
Foto: Reprodução
Covid-19 27 Jul 2022 - 08:30
Covid pode apresentar dificuldade de ejaculação e baixa libido como sintomas

A Covid longa pode apresentar, entre uma série de sintomas, dificuldades na ejaculação e diminuição da libido, segundo um estudo realizado pela Universidade de Birmighan, no Reino Unido, publicado na segunda-feira (25), na revista Nature. A pesquisa aponta ainda que perda de olfato, queda de cabelo, espirros, dificuldades na ejaculação e diminuição da libido são os cinco sintomas que lideram os 60 considerados recorrentes entre pessoas que sofrem da doença. Além desses, falta de ar em repouso, fadiga, dor no peito, rouquidão e febre também fazem parte da lista. Os especialistas também citam no estudo que mulheres jovens, minorias étnicas, pessoas com baixo nível socioeconômico, fumantes e pessoas com comorbidades são os grupos que mais padecem com a Covid longa.

Covid-19 aumenta chances de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares
Foto: Reprodução
Covid-19 21 Jul 2022 - 18:00
Covid-19 aumenta chances de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares

Pacientes com Covid-19 tiveram maior risco de desenvolver diabetes e doenças cardiovasculares mesmo depois de meses do diagnóstico da infecção, sugere estudo publicado nesta terça-feira (19). Para algumas complicações, o aparecimento foi 11 vezes maior entre pessoas que tiveram Covid-19 em comparação com aquelas que não foram infectadas pelo coronavírus. A relação da Covid-19 com essas complicações de saúde já tinha sido observada em outras pesquisas. Evidências indicam que o Sars-CoV-2 ocasiona quadros mais graves em quem não tem o diabetes controlado, exemplifica Domingos Malerbi, presidente do departamento de diabetes mellitus da Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) e que não participou do estudo. Na nova pesquisa, que foi publicada na revista Plos Medicine e é assinada por pesquisadores da Inglaterra, dados do país europeu foram utilizados para comparar pacientes com testes com resultado positivo para Covid-19 com outros que não contraíram a doença. Os dois grupos - cada um contava com cerca de 428 mil participantes - foram acompanhados até janeiro deste ano. O estudo mensurou a incidência das complicações em três fases conforme o diagnóstico de Covid-19: aguda (até quatro semanas do registro da infecção viral), pós-aguda (de 5 a 12 semanas) e longa (de 13 a 52 semanas). Então, os pesquisadores observaram o aparecimento de diabetes ou doenças cardiovasculares nesses três momentos. No caso do diabetes, um aumento de 81% da condição na fase aguda da Covid-19 foi registrado em pacientes que tiveram a infecção em comparação àqueles que não contraíram o Sars-CoV-2. No período da Covid-19 pós-aguda, a maior incidência foi de 27% nos pacientes diagnosticados com a infecção. Já no período mais longo, não foi registrado aumento ao comparar os grupos. Malerbi diz que existem algumas razões para entender os efeitos do Sars-CoV-2 no aparecimento da diabetes. Uma delas é que o vírus afeta a ilhota pancreática, que é onde se produz a insulina. Esse cenário acarreta o descontrole do nível de glicemia no organismo e pode ocasionar a doença. Outra explicação é quando o vírus não age diretamente na ilhota, mas causa uma resposta do sistema imunológico que afeta o pâncreas. "Existe toda uma modificação imunológica e isso pode desencadear um processo autoimune que o indivíduo produz anticorpos contra a ilhota. Ele se agride", afirma Malerbi. Uma terceira hipótese é relacionada aos corticoides, medicamentos usados para controlar processos inflamatórios. Malerbi diz que eles "são um fator que pode desencadear uma doença ou até exacerbar uma condição preexistente". Na Covid-19, esses remédios são indicados para quadros graves e, por isso, podem estar associados ao aparecimento do diabetes nestes pacientes. Complicações cardiovasculares A pesquisa seguiu a mesma metodologia para entender a incidência de complicações cardiovasculares a partir da Covid-19: monitorar por longo prazo o aparecimento das condições em pacientes com e sem o diagnóstico para a infecção viral. No final, as complicações foram observadas seis vezes mais nos pacientes que tiveram Covid-19. Para algumas condições, no entanto, o índice foi até maior. Por exemplo, a embolia pulmonar -onde artérias pulmonares são bloqueadas- foi presente cerca de 11 vezes mais naqueles que testaram positivo para o Sars-CoV-2. "Nos primeiros casos, a pessoa recebia alta da Covid e depois internava de embolia pulmonar", relembra Maria Cristina Izar, diretora da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo), sobre quadros clínicos que ela observou de Covid-19 e que logo após desenvolveu a complicação cardiovascular. Izar, que não participou da pesquisa, aponta que uma possível explicação para esse fenômeno é a tempestade de citocina -uma resposta imunológica que procura combater a infecção da Covid-19, mas acarreta problemas ao organismo. Um desses danos é nas células endoteliais. Elas produzem substâncias que agem para o pleno funcionamento dos vasos sanguíneos. A tempestade de citocina prejudica essas células, podendo ocasionar problemas como a embolia pulmonar. As complicações cardiovasculares foram vistas principalmente no período da Covid-19 aguda. Após a quarta semana, os riscos caíam e retornavam ao nível normal na fase da Covid-19 longa -a partir da 12º semana. Esse resultado é próximo com aquele visto no caso da diabetes. Com isso, os pesquisadores concluíram que, caso não haja fatores de riscos pré-existentes, a Covid-19 não impacta o aparecimento das condições a longo prazo.

Vigilância médica

As descobertas do estudo fazem com que os autores defendam uma orientação por parte dos médicos para pacientes que tiverem Covid-19. Ou seja, é importante orientar as pessoas a estarem atentas ao aparecimento de outras complicações em médio prazo. Malerbi afirma que a vigilância é necessária. Segundo ele, é recomendável fazer exames entre 60 a 90 dias após o fim dos sintomas da Covid-19, mesmo que tenha sido um quadro leve. Izar também ressalta que é aconselhável a adoção de alguns hábitos que possam evitar as complicações de saúde após a Covid-19. Entre elas, as principais seriam uma alimentação saudável, evitar o cigarro e a prática de atividades físicas. 

Brasil tem mais de 78 mil novos casos da covid nas últimas 24 horas
Foto: Reprodução
Covid-19 20 Jul 2022 - 11:30
Brasil tem mais de 78 mil novos casos da covid nas últimas 24 horas

O Brasil notificou 78.405 novos casos da covid-19 nesta terça-feira, 19. A média móvel de testes positivos, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, ficou em 56.109, representando uma leve queda de 2% em relação à de duas semanas atrás. Apesar da diminuição, o País segue desde o último dia 24 com o índice acima dos 50 mil. O País também registrou 378 novas mortes pelo coronavírus nas últimas 24 horas. A média diária de óbitos na última semana é de 252, a maior desde 24 de março deste ano. O índice está há 22 dias estável acima de 200. No total, o Brasil tem 675.929 vítimas e 33.398.040 casos da doença. São Paulo registrou 111 mortes e 9,5 mil novos casos nas últimas 24 horas. O Estado com o maior número de testes positivos no período foi Minas Gerais, que informou mais de 21 mil infecções nesta terça e outros 65 óbitos. Apenas Acre, Amazonas e Amapá não notificaram novas vítimas da pandemia. Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h. Segundo os números do governo, mais de 31,4 milhões de pessoas se recuperaram da doença desde o início da pandemia. O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados. O Ministério da Saúde não atualizou os dados da covid com informações das útlimas 24 horas. Segundo a pasta, o País tinha 33.397.814 casos e 675.871 óbitos pela doença até a véspera.

Especialistas alertam sobre baixa adesão no reforço contra a Covid-19
Foto: Reprodução
Covid-19 19 Jul 2022 - 12:00
Especialistas alertam sobre baixa adesão no reforço contra a Covid-19

Com apenas 33% do público-alvo vacinado com a 4ª dose e 58% com a 3ª, a necessidade de alertar a população de Salvador quanto a importância das doses de reforço tem aumentado e se tornado gritante. Os dados são do vacinômetro da Secretaria de Saúde do estado da Bahia (Sesab), que também mostra a situação no estado, que é ainda mais preocupante: apenas 19% dos baianos tomaram a 4ª, enquanto 51% tomaram a 3ª dose. E enquanto esses números demoram a subir, a proteção dada pelas 1ª e 2ª doses cai dia após dia. "Os estudos já nos mostram que a partir de 3 e 4 meses, e de uma forma mais pronunciada após o quinto mês, existe uma redução da efetividade das vacinas contra a Covid-19. Dessa forma, as doses de reforço são fundamentais para tornarem nosso sistema imunológico mais eficiente no combate ao Sars-Cov-2, causador da Covid-19. Com o passar dos meses, infelizmente, apenas as duas doses não são suficientes para proteger o indivíduo, sobretudo das formas mais graves da infecção", alerta a médica infectologista Lorena Galvão. São sucessivas pesquisas realizadas para acompanhar o comportamento tanto do vírus Sars-Cov-2, quanto à forma como as vacinas estão agindo dentro do corpo das pessoas, explica o técnico da coordenação de imunização da Sesab, Ramon Saavedra. "Ambos, vírus e vacina, são novos e todo o conhecimento que temos sobre eles têm sido construídos durante a pandemia. Então, o que temos com muita clareza no momento é que há uma queda do nível de anticorpos e da proteção dada pela vacina com o passar dos meses, e por essa razão essa proteção precisa ser reforçada".

Estratégia

É uma lógica muito parecida com a usada nas campanhas de vacinação de gripe: a vacinação acontece entre abril e maio para proteger as pessoas no período mais (a partir de junho), quando a incidência de gripe cresce. Nos meses seguintes, essa proteção vai diminuindo, mas a preocupação já não é mais tanta, já que é a 'baixa temporada' dos casos de gripe, mas em abril e maio do ano seguinte a campanha volta. A única diferença é que, no caso da Covid-19, não há um período específico que ela pareça transmitir mais. O que se sabe é que a pessoa precisa ter sim ter seus anticorpos contra o Sars-Cov-2 reforçados.

Segurança

"As pessoas não podem se apegar à falsa sensação de segurança dada pelas duas primeiras doses e o fato dos casos estarem diminuindo. Isso é mito, precisamos desmistificar isso, assim como o medo dos possíveis efeitos colaterais das vacinas. Ao colocar numa balança e analisar o que vale mais: o risco de um efeito colateral que, caso aconteça, dura em média dois dias ou os benefícios que estar vacinado traz, a vacinação vale infinitamente mais. Os possíveis efeitos da vacina são leves, mas não podemos dizer o mesmo dos efeitos da Covid-19", argumenta Ramon Saavedra. Ele ainda explica que, mesmo que seja uma realidade que a vacina tenha ajudado a diminuir a infecção e a gravidade da doença naqueles que se vacinaram, esse ritmo lento que a vacinação tem tomado na fase de reforço também favorece o surgimento de mais variantes. "E pode vir a surgir alguma variação do vírus que a vacina não consiga segurar. Hoje, assim como tem sido desde o início da pandemia, os estudos sobre o vírus vêm sendo feitos em tempo real, então não há como cravar, por exemplo, que mais doses serão necessárias. Porém, enquanto houver indicação de novas doses, é recomendável e importante que as pessoas tomem", aponta o técnico da Sesab.

Vacinação

E hoje tem vacina em Salvador. A Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), segue com a aplicação da 4ª dose para pessoas com 40 anos ou mais com nome na lista do site da SMS e que tenham tomado a 3ª dose até o dia 18 de março de 2022. A vacinação para aqueles que precisam das 1ª, 2ª e 3ª doses também seguem hoje na capital, assim como a imunização pediátrica para crianças de 3 a 11 anos. Tem vacina também para a estratégia Liberou Geral, para a aplicação da 1ª, 2ª e 3ª doses para indivíduos com 12 anos ou mais, independentemente de ser residente do município. O único requisito é ter o cartão SUS vinculado a algum município do estado da Bahia e apresentar, obrigatoriamente, originais e cópias do cartão de vacina, carteira nacional de vacinação digital (Conecte SUS atualizado), documento de identificação com foto e comprovante de residência do município do Estado da Bahia. 

Livramento: mais um óbito é registrado na cidade em decorrência da Covid -19
Foto: Patrick Cassiano - Blog Regional
Covid-19 18 Jul 2022 - 18:29
Livramento: mais um óbito é registrado na cidade em decorrência da Covid -19

Através de comunicado oficial, a Secretaria Municipal de Saúde de Livramento de Nossa Senhora informou o registro de mais um óbito em decorrência da Covid -19, fato ocorrido na UPA do município nas últimas 24 horas. Segundo o órgão, a vítima que residia no Bairro Benito Gama, tinha 86 anos de idade, encontrava-se acamado e padecia de Alzheimer, insuficiência renal e anemia ferropriva. Na oportunidade, o Poder Público reiterou a importância da imunização com todas as doses oferecidas pelo SUS e alertou a população sobre as medidas sanitárias e de distanciamento social.

Livramento: mais um óbito é registrado na cidade em decorrência da Covid -19
Covid-19: Brasil registra 40.149 novos casos e 205 mortes em 24 horas
Foto: Reprodução - Internet
Covid-19 17 Jul 2022 - 12:00
Covid-19: Brasil registra 40.149 novos casos e 205 mortes em 24 horas

As secretarias estaduais e municipais de Saúde registraram 40.149 novos casos de covid-19 em 24 horas em todo o país. De acordo com os órgãos, foram confirmadas também 205 mortes por complicações associadas à doença no mesmo período. Os dados estão na atualização do Ministério da Saúde divulgada neste sábado (16). De acordo com a pasta, Distrito Federal, Maranhão Minas Gerais e  Mato Grosso do Sul não atualizaram os dados sobre óbitos neste boletim. Já Mato Groso, Rio de Janeiro, Roraima e Tocantins não atualizaram nenhum dado. Com as novas informações, o total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus durante a pandemia soma 33.290.266 O número de casos em acompanhamento de covid-19 está em 1.084.419. O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias que não tiveram alta e nem resultaram em óbito. Com os números de hoje, o total de óbitos alcançou 675.295, desde o início da pandemia. Ainda há 3.206 mortes em investigação. As ocorrências envolvem casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demanda exames e procedimentos complementares. Até agora, 31.530.552 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a 94,7% dos infectados desde o início da pandemia.

Após liberação da Anvisa, Queiroga trava aplicação da Coronavac para crianças
Foto: Divulgação
Covid-19 15 Jul 2022 - 10:30
Após liberação da Anvisa, Queiroga trava aplicação da Coronavac para crianças

Apesar da Anvisa ter aprovado, nesta quarta-feira (13), o uso emergencial da vacina Coronavac para crianças de 3 a 5 anos, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga não pretende liberar imediatamente o imunizante para este público. O uso do imunizante foi aprovado por unanimidade pela diretoria colegiada da Anvisa, mas em entrevista à coluna de Igor Gadelha, no portal Metrópole, ele afirmou que só decidirá sobre a ampliação do público após ouvir a área técnica do Ministério da Saúde. "Tema para análise da CTAI/SVS (Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 da Secretaria de Vigilância em Saúde) conforme o processo padrão", disse Queiroga. Questionado sobre sua opinião sobre a aplicação da vacina para as crianças de 3 a 5 anos ele esquivou. "Após ouvir a área técnica", disse ele, sem uma resposta direta.

Com casos da Covid-19 em alta, Bahia ganha mais 114 leitos
Foto: Reprodução
Covid-19 15 Jul 2022 - 09:00
Com casos da Covid-19 em alta, Bahia ganha mais 114 leitos

A Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) anunciou, nesta quinta-feira (14), que disponibilizou mais 114 leitos para assistência a pacientes com Covid-19, por causa do aumento da demanda apresentada no estado. São 30 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) e 84 clínicos. De acordo com a Sesab, há ainda a previsão de abertura de outros 60 leitos, sendo 30 de UTI e 30 clínicos, até segunda-feira (18), em Salvador, Valença e Camacan. Diante dos indicadores de novos casos da doença, total de casos ativos e taxa de ocupação de leitos, a Sesab informa que, caso haja necessidade, mais leitos para o tratamento de pacientes com Covid-19 podem ser disponibilizados. A Sesab informou que municípios também têm autonomia para ampliar a oferta de leitos e definir medidas mais restritivas

Bahia registra 4.607 casos de Covid-19 e 28 óbitos nas últimas 24 horas
Foto: Reprodução da internet
Covid-19 15 Jul 2022 - 08:00
Bahia registra 4.607 casos de Covid-19 e 28 óbitos nas últimas 24 horas

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 4.607 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,28%), 3.953 recuperados (+0,25%) e 28 óbitos. Dos 1.626.031 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.575.393 já são considerados recuperados, 20.499 encontram-se ativos e 30.139 tiveram óbito confirmado. Os dados ainda podem sofrer alterações. O boletim epidemiológico desta quinta-feira (14) contabiliza ainda 1.926.229 casos descartados e 353.787 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até às 17 horas desta quinta-feira (14). Na Bahia, 66.574 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Na Bahia, dos 536 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para tratar o novo coronavírus, 313 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 58%. No que se refere aos leitos de UTI adulto, a taxa de ocupação na Bahia é de 64%. Vacinação Até o momento a Bahia contabiliza 11.634.206 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.723.084 com a segunda dose ou dose única, 6.504.117 com a dose de reforço e 1.039.484 com o segundo reforço. Do público de 5 a 11 anos, 988.027 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 580.273 já tomaram também a segunda dose.

Nova variante do coronavírus é identificada na Ásia
Foto: Fusion Medical Animation - Unsplash - Divulgação
Covid-19 12 Jul 2022 - 16:30
Nova variante do coronavírus é identificada na Ásia

Uma nova variante do coronavírus foi identificada na Índia. De acordo com a Associated Press, a variante, chamada de BA.275, tem um fator que causa a preocupação de cientistas; ela pode se espalhar mais rapidamente, além de “driblar” a imunidade adquirida com as vacinas ou de infecções passadas. Ainda não é possível afirmar que a nova variante pode causar quadros mais agudos do que outras, como a ômicron, incluindo a BA.5. Os últimos registros apontam que a última mutação foi vista em estados distantes da Índia. As informações foram concedidas pela cientista do Conselho de Pesquisa Científica e Industrial do Instituto de Genômica e Biologia Integrativa em Nova Délhi, Lipi Thukral à Associated Press. Outros países, incluindo Estados Unidos, Austrália, Alemanha, Reino Unido e Canadá também detectaram casos da nova variante.

Criança de oito anos internada em estado grave com Covid-19 é transferida de Vitória da Conquista para Salvador
Foto: Reprodução - TV Bahia
Covid-19 12 Jul 2022 - 08:00
Criança de oito anos internada em estado grave com Covid-19 é transferida de Vitória da Conquista para Salvador

A criança de 8 anos, que estava internada em estado grave, no Hospital Esaú Matos, em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, foi transferida na segunda-feira (11), para o Hospital Couto Maia, em Salvador. Davi Luiz Gomes foi diagnosticado com Covid-19. A família do garoto contou que a criança precisava de um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e estava preocupada porque recebeu a autorização para a transferência médica na noite de domingo (10), mas o procedimento ainda não tinha sido feito até a tarde desta segunda. Eunice Gomes, mãe do garoto, conta que a família mora no Tocantins e passava férias em Ilhéus. Em seguida, eles partiram para outra cidade, Vitória da Conquista, foi quando o garoto começou a apresentar sintomas de síndrome gripal. "A gente mora no Tocantins e viemos para passar uns dias em família. Na quarta, o Davi já começou a ter [sintomas], a gente imaginou que seria uma gripe, mas na sexta, quando ficamos em Vitória da Conquista, o desconforto aumentou muito", relembrou Eunice Gomes. "Na hora que ele subiu a serra, teve a mudança de temperatura, porque lá [Ilhéus] estava chovendo, mas estava quente. Com a altitude, a fadiga dele aumentou um pouco", afirmou a mãe do garoto. A mãe do paciente afirmou que o quadro dele evoluiu de maneira rápida. Na madrugada de domingo (10) foi preciso entubar Davi Luiz e fazer reanimação por duas vezes. "Ele teve uma parada cardiorrespiratória. Meu filho ficou 15 minutos desacordado. A mão já estava roxa, o pezinho já estava roxo. Foi uma situação que não dá para descrever a dor", contou Eunice. O quadro de Davi Luiz é típico da Covid-19, com piora rápida e de forma grave. Embora, o garoto tenha recebido todo o cuidado no Hospital Esaú Matos, ele precisava que a transferência aérea para o Hospital Couto Maia, em Salvador, (onde a vaga foi liberada) fosse feita com urgência. O diretor da da Fundação de Saúde de Vitória da Conquista, Diogo Gomes, disse por meio de nota que casos como esse de Davi precisam ser considerados como emergência. Isso porque o município não dispõe de UTI pediátrica para o tratamento da Covid-19.

Adicione nosso WhasApp

77 99828-5766

Redes Sociais