Categoria: Santaluz

  • Foto: Reprodução/Redes Sociais
  • 29 // Abr // 2024
  • 14h00

Jovem de 28 anos morre após sofrer descarga elétrica enquanto lavava roupas em Santaluz

No domingo (28), uma tragédia chocou a comunidade de Santaluz, na região sisaleira da Bahia, quando uma jovem de 28 anos perdeu a vida após sofrer uma descarga elétrica enquanto lavava roupas em um tanquinho. A vítima foi identificada como Queila Tauane Santos Reis, conforme informações da Guarda Civil Municipal. O incidente aconteceu por volta das 8h, no povoado Boa Esperança, e os agentes da Guarda foram acionados para o local. Queila Tauane foi prontamente socorrida por familiares e encaminhada para um hospital do município, porém, infelizmente, não resistiu aos ferimentos. A Polícia Civil registrou o caso na delegacia da cidade para investigação. O corpo da jovem foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Serrinha para os procedimentos necessários.

  • Foto: Divulgação PF
  • 17 // Abr // 2024
  • 17h30

Operação da PF mira em comerciantes envolvidos com extração ilegal de ouro em SantaLuz

A mineração ilegal de ouro em Santaluz, no interior da Bahia, é alvo da Operação Serra Dourada - deflagrada na manhã desta quarta-feira (17) pela Polícia Federal. Mandados judiciais foram cumpridos no município baiano. A ação é um desdobramento da Operação Garça Dourada, deflagrada em junho de 2023, quando se identificou que os investigados, há anos, praticavam a extração ilegal de ouro na região de Santa Luz. Conforme apurado pela PF, os investigados evoluíram o crime para a construção de laboratórios, onde recebem e refinam "rejeitos" de moagens executadas por garimpeiros ilegais, com processo químico industrial.  Segundo a Polícia Federal, o ouro é extraído do rejeito por meio do procedimento da lixiviação, com a utilização de grande quantidade de cianeto de sódio. "Observa-se que a utilização ilícita de cianeto de potássio ou cianeto de sódio, substâncias altamente tóxicas e cuja compra e uso são controlados pelo Ministério do Exército, pode causar grande impacto para a saúde humana e para o meio ambiente local", ressalta a PF em nota. Na atual fase da investigação, foram identificados comerciantes que adquirem o ouro extraído ilegalmente na região para revenda em outros estados da Federação, em forma de barra ou já transformados em joias. Os investigados irão responder pelos crimes de usurpação de bens da União, associação criminosa, posse de artefatos explosivos, extração ilegal de recursos minerais, uso/armazenamento ilícito de substância tóxica, perigosa e nociva e lavagem de dinheiro. As penas, somadas, podem chegar a 29 anos de reclusão.