'A missão acabou, mas jamais irei abandonar e esquecer a gratidão' disse Cleise Delfino da Costa ao deixar o Comando da 46ª CIPM
Foto: Patrick Cassiano/Blog Regional
Polícia 22 Set 2021 - 22:52
'A missão acabou, mas jamais irei abandonar e esquecer a gratidão' disse Cleise Delfino da Costa ao deixar o Comando da 46ª CIPM

Na ultima terça-feira (21) aconteceu solenidade de passagem do Comando da 46ª CIPM em Livramento de Nossa Senhora. A Major Cleise Delfino da Costa deixou o posto em que ocupava como Comandante da Unidade e ingressou na Reserva Remunerada. O discurso da ex-comandante foi pautado em gratidão e na certeza da missão cumprida.“Carrego em meu coração um misto de sensações: o de missão cumprida e o de gratidão. A missão acabou, mas jamais irei abandonar e esquecer a gratidão”. Disse a Major durante sua despedida. Confira na integra:

Em nome do Coronel PM Ivanildo da Silva, Comandante de Policiamento da Região Sudoeste saúdo a todas as autoridades, Policiais Militares, convidados, familiares e amigos com o meu bom dia!Hoje, terça-feira, 21 de setembro de 2021, encerra-se de fato, e oficialmente, o meu ciclo profissional na PMBA.

Ingresso na inatividade com a certeza de ter me debruçado integralmente a fazer com serenidade, dedicação, seriedade e humildade tudo que a mim foi delegado a fazer e tudo que enxerguei como necessidade de ser feito em prol da Instituição e do coletivo ao longo desses anos.

Permitam-me senhores e senhoras deixar a modéstia à parte, e dizer que para mim, foi fácil servir, proteger, escutar, acatar, orientar, sugerir, assessorar, chefiar, comandar, atender e policiar.

 

As mais de duas décadas de profissão passaram rápido porque contribuí com o meu melhor e fiz tudo por amor ao ofício que eu acredito saber fazer muito bem.

Carrego em meu coração um misto de sensações: o de missão cumprida e o de gratidão.

A missão acabou, mas jamais irei abandonar e esquecer a gratidão.

Gratidão a Deus, que é minha luz eterna e que lastrou a minha caminhada até aqui, que inseriu para os meus planos de vida o meu encontro com a PMBA, a qual reverencio como uma das melhores Policias Militares do Brasil.

Gratidão a Deus pelas minhas conquistas, pelos desafios e problemas apresentados e por grandes encontros de respeito e amizade dentro e fora da Corporação. Gratidão aos meus pais que perseveraram em dar a mim e aos meus irmãos os maiores legados que um ser humano pode receber, que é a educação familiar e o conhecimento.

Ao meu pai, que há alguns anos partiu desta dimensão…. gratidão. Gratidão a ele por ter me encorajado a ser o que eu quisesse ser e de ter profetizado que eu seria muito feliz e próspera em minhas escolhas.

Todos os dias honro a memória dele e o que ele representa para mim.

Gratidão a minha mãe por todos os dias ainda me transmitir inspiração da sua força, da sua discrição e do seu jeito caprichoso de fazer as coisas. Agora eu e ela teremos mais tempo de juntas desfrutarmos os frutos dos nossos esforços que semeamos ao longo desses anos.

Gratidão ao meu esposo, Telinho, pelo amor dirigido a mim em gestos e palavras de incentivo, pelos conselhos e orientações recorrentes, pela paciência e abnegação durante as minhas ausências, pelos abraços, carinhos, músicas e sorrisos, quando eu retornava à nossa casa.

Gratidão à minha filha Heloísa por ter compreendido minha ausência, por me impulsionar involuntariamente a ser um ser humano melhor e ajudá-la a se tornar um ser humano cada dia melhor.

Gratidão à família Hipólito Rodrigues, cuja a matriarca é a minha sogra, Adalgisa. Gratidão a ela, meus cunhados, cunhadas, compadres, comadres, madrinha, padrinho e sobrinhos pelo acolhimento, por me agregar com carinho e zelo e continuamente declinarem a admiração que têm pelo meu trabalho desde que aqui cheguei como Tenente PM.

Gratidão às 200 mulheres, e hoje, grandes amigas, que junto a mim ingressaram nas fileiras da Corporação, no Curso de Formação de Soldados 1995. Elas são o início de tudo e a minha referência de disciplina e profissionalismo.

Gratidão a cada um dos meus amigos e amigas da turma do Curso de Formação de Oficiais 2001. Hoje, em sua maioria, Oficiais Superiores e referência de harmonia, comprometimento e amizade do meu mais longo período de 4 anos de formação acadêmica na PMBA.

Gratidão aos amigos e amigas de Livramento e da Região pela amizade que construímos desde o início, em 2002, quando aqui cheguei. E por despretensiosamente desejarem a minha presença em suas vidas e em seus lares sem questionar ou investigar as minhas origens e a minha fonte familiar. Foi realmente amizade à primeira vista e será até o fim de nossas vidas. Grata a cada um e a cada uma por estarem aqui hoje neste dia tão feliz para mim.

Sou grata a cada Policial Militar da 46ª CIPM, homem ou mulher, Praça PM ou Oficial PM, da ativa ou da Reserva que juntos pudemos compartilhar momentos de confiança, lealdade, alegrias, desafios, sofrimentos e conquistas. Sinto-me na certeza que levávamos a sério a frase do escritor Alexandre Dumas: “Um por todos e todos por um.”

Gratidão ao Coronel PM Ivanildo da Silva, o meu Comandante Regional, durante todo o meu período no Comando da 46. Muito obrigada pela confiança e respeito em mim depositados. Que o senhor saiba que a recíproca é verdadeira. Muito obrigada pelas orientações, cuidados e pelo apoio dirigidos a mim, à tropa e a todos os municípios da área da 46. Que Deus abençoe os seus dias, Coronel.

Sou grata também, a todos os Oficiais e Praças que compõem o orgânico do CPRSO pelo compartilhamento de ideias e ações e pela relação respeitosa durante todos esses anos. Agora terei mais tempo de pedir a Deus que proteja e abençoe a todos.

Sou grata a todas as pessoas que conheci durante esses meus quase 20 anos na região,  e que juntos pudemos ter uma relação profissional harmoniosa e respeitosa, como autoridades dos poderes públicos municipais do executivo e do legislativo, juízes, promotores de justiça, delegados, conselheiros tutelares, conselheiros de segurança pública, comerciantes, empresários, membros e sacerdotes de entidades religiosas, maçonaria, entidades filantrópicas e um mar de pessoas da comunidade que pelo seu acolhimento, hospitalidade, força de trabalho, amizade e respeito me ensinaram a gostar cada vez mais de viver aqui e ter a certeza de que fiz uma boa escolha.

Por fim, deixo uma reflexão a todos os presentes de que a Reserva remunerada não é simplesmente um retorno à família e aos cuidados à ela. É verdadeiramente um retorno a nossa essência e ao deleite individual que merecemos ter depois da nossa caminhada profissional.

Surge para mim, um novo ciclo de vida, glórias a Deus.

Missão cumprida e muito obrigada a todos os presentes.

CONTINUE LENDO
Comentários


Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.



Deixar Comentário